Em luta com os estivadores contra a precariedade

Os estivadores e o seu sindicato SEAL (Sindicato dos Estivadores e da Actividade Logística) têm-se destacado nos últimos anos pela sua combatividade e coragem. Um exemplo de sindicalismo combativo e independente, que não se alimenta só de cartas e textos, mas passa à ação de forma exemplar, dando confiança e coragem aos seus associados. É assim, mais uma vez, no Porto de Setúbal.

A precariedade grassa no país e em particular no sector dos portos. O SEAL e os estivadores são um exemplo no combate a este flagelo nacional. Recordamos a manifestação de junho de 2016, onde mesmo após um acordo que lhes deu conquistas não desmarcaram a manifestação unitária contra a precariedade, sob o slogan: “Precariedade nem para os estivadores nem para ninguém”. Um exemplo!

Contra um Governo que abrandou todo o movimento sindical através do compromisso político entre centrais sindicais e partidos que o sustentam, os estivadores dão o mote e pegam na batuta, demonstrando que nem este Governo acaba com a precariedade.

A paralisação no porto de Setúbal revela a fragilidade de um regime e de um sistema que organiza a sua produção com toda a irracionalidade. Pelo lucro dos patrões precarizam o mais que puderem e impõem organizações dos tempos de trabalho desumanas, tudo ao serviço desse lucro.

Ver as imagens do porto de Setúbal repleto de carros da Autoeuropa, onde trabalhadores acabaram subjugados a trabalhar aos fins-de-semana com salários dos mais baixos da Europa no grupo da multinacional alemã é desgraçadamente caricato e apercebemo-nos de como continua o país.

Para estes trabalhadores que perderam o medo queremos deixar a nossa solidariedade e compromisso. Contra a precariedade na estiva, na Autoeuropa e em qualquer lugar!