A NOSSA CLASSE Nacional

Ante o “vazio” da crise governativa, unidade para lutar pela dignidade dos de baixo!

2021 tem sido apontado pela elite como o ano da retoma. Porém, a realidade da classe trabalhadora é outra, vivendo com orçamentos apertados constrangidos por aumentos dos preços dos combustíveis, uma realidade salarial muito abaixo do custo de vida, apoios estatais insuficientes, vínculos cada vez mais precários e rendas exorbitantes.

Mulheres

A pandemia da violência contra a mulher continua, e é preciso dar um basta

O dia 25 de novembro marca o Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher. Ainda há poucos dados sobre feminicídio e violência doméstica referentes ao ano de 2021 em Portugal. Entretanto, casos como o escandaloso julgamento de um homem que arrastou a sua mulher pelo pescoço em frente à GNR e foi absolvido do crime de violência doméstica mostram que a violência contra a mulher continua a constituir uma verdadeira pandemia.

A NOSSA CLASSE Nacional

MAIS UM ATAQUE AO SINDICALISMO INDEPENDENTE E ALTERNATIVO

No passado dia 8 de Novembro o Diário de Noticias publicou um artigo onde relatava que “Acabou em agressão a reunião de dia 27 de outubro” da Comissão de Trabalhadores do Banco Santander. A referida reunião teve como propósito substituir o coordenador da CT João Pascoal. A noticia é claramente encomendada e tem um chorrilho de mentiras e calunias. Desde logo, o visado, não esteve presente na reunião ao contrário do que afirma o artigo. João Pascoal está desde 20 de agosto, data em que foram anunciados os despedimentos coletivos, impossibilitado pela administração do Banco Santander de entrar nas instalações.

A NOSSA CLASSE Internacional

Dia 11 de novembro: protestos e vigília em Angola

Os 45 anos da independência em Angola, lembrados em 11 de novembro de 2020, foram marcados por atos de protestos com repressão e detenções. Cerca de 400 pessoas foram anunciadas como desaparecidas naquele momento e, após a dispersão forçada da manifestação antigovernamental – ocorrida na véspera – no dia 07-, a polícia admitiu existir pelo menos 100 detenções.