A NOSSA CLASSE Nacional

Ante o “vazio” da crise governativa, unidade para lutar pela dignidade dos de baixo!

2021 tem sido apontado pela elite como o ano da retoma. Porém, a realidade da classe trabalhadora é outra, vivendo com orçamentos apertados constrangidos por aumentos dos preços dos combustíveis, uma realidade salarial muito abaixo do custo de vida, apoios estatais insuficientes, vínculos cada vez mais precários e rendas exorbitantes.

Mulheres

A pandemia da violência contra a mulher continua, e é preciso dar um basta

O dia 25 de novembro marca o Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher. Ainda há poucos dados sobre feminicídio e violência doméstica referentes ao ano de 2021 em Portugal. Entretanto, casos como o escandaloso julgamento de um homem que arrastou a sua mulher pelo pescoço em frente à GNR e foi absolvido do crime de violência doméstica mostram que a violência contra a mulher continua a constituir uma verdadeira pandemia.

EDITORIAL

O que eles querem é virar o disco e tocar o mesmo

A crise governativa coloca em discussão os projetos políticos maioritários apresentados ao país. Costa, Marcelo e Rui Rio parecem desentender-se, mas representam o projeto político dos ricos de Portugal. A luta entre eles agora é pela conquista de mais deputados, mas têm o mesmo projeto estratégico para Portugal: acentuar a dependência perante a União Europeia, para que os ricos portugueses, como sócios minoritários das multinacionais europeias, continuem a lucrar sob as costas dos oprimidos e explorados.

A NOSSA CLASSE Nacional

As ideologias, a prática e a falta de perspetivas reinante na classe trabalhadora

Ao contrário do que diz a sabedoria popular, não basta vestir-lhe a pele para que alguém se torne lobo. Num mundo de aparências e de frases de efeito, é necessário ser rigoroso com os rumos das organizações políticas presentes na classe trabalhadora, para que esta não perca a perspetiva de luta por um mundo livre de exploração e opressão, um mundo socialista.