Internacional

Bolsonaro da África ataca os trabalhadores e dissolve o parlamento

Atualmente a Guiné-Bissau, como muitos países na África, é uma semicolonia do imperialismo francês, inclusive utilizando como moeda nacional o Franco CFA (de origem significava Colónias Francesas em África, atualmente Comunidade Financeira na África), tendo o Tesouro Público da França como garantidor. É dessa forma que estabelece as restrições quanto a possibilidade de financiamento de deficit de Estado por meio de bancos centrais europeus, o que significa dizer que o Estado francês possui meios legais de se apossar das divisas africanas em benefício próprio.

Internacional

Exército de Israel executa repórter palestina com tiro na cabeça

A jornalista da emissora Al Jazeera, Shireen Abu Akleh, uma veterana repórter palestina-americana de 53 anos, foi assassinada nesta quarta-feira, 11, com um tiro na cabeça, enquanto cobria uma operação militar israelense na cidade de Jenin, na Cisjordânia. Ela vestia colete com identificação de imprensa e foi alvejada por um franco atirador. Levada ao hospital, Abu Akleh não resistiu aos ferimentos.

Internacional

Macron reeleito – E agora?

As eleições presidenciais acabam de ser realizadas na França, em 10 e 24 de abril[1]. Como nas eleições de 2017, o segundo turno colocou o presidente em exercício, Emmanuel Macron, contra Marine Le Pen. Um duelo para o qual as pesquisas e a mídia nos preparavam há semanas. Um duelo entre um presidente de direita (ainda que ele se recuse a se apresentar como tal, preferindo se chamar de “progressista”) e sua rival da extrema direita (ainda que este termo seja rejeitado por ela, e que sua campanha tenha sido muito focada em questões sociais, em particular na questão do poder de compra). Um primeiro turno que mais uma vez derrubou tudo o que, em um vasto e bastante confuso pot-pourri, está classificado como de esquerda na política francesa. E o candidato favorito da burguesia e sua mídia, Macron, foi reeleito.

Internacional

Basta da hipocrisia e do racismo da Europa Fortaleza!

Estima-se que a invasão da Ucrânia pela Rússia a 25 de fevereiro já gerou mais de 4 milhões de refugiados. São inúmeros trabalhadores e trabalhadoras, mulheres, idosos e crianças que se viram obrigados a deixar as suas casas e o seu país porque o Estado russo, que historicamente oprime o povo ucraniano, motivado pelos seus interesses económicos, invadiu a Ucrânia, violando o direito à autodeterminação do povo ucraniano.

Internacional

Ditadura do MPLA reprime manifestação pela libertação dos presos políticos

No sábado, dia 09 de abril, várias organizações políticas de defesa dos direitos humanos em Angola, tendo à frente a Sociedade Civil Contestatória convocaram uma manifestação pacífica pela Libertação dos Presos Políticos (entre eles: TANAICE NEUTRO, LUTHER CAMPOS, ZECA MUTCHIMA, KALUPETEKA…); e, também, pela retirada da INDRA da organização das eleições presidenciais de agosto deste ano; e por um chamado de negociação e diálogo para o conflito de Cabinda.