Especial Ucrânia

A resistência ucraniana e a hipocrisia norte-americana

Dois artigos recentes, publicados no G1-Globo e no The New York Times, retratam consequências diferentes da guerra na Ucrânia. Num, temos a resistência do povo ucraniano contra os invasores russos; noutro, a prisão nos EUA de jovens russos em fuga do regime de Putin.

Abaixo a “mobilização” forçada e os “referendos” de Putin. Redobrar o apoio à resistência ucraniana!

O avanço das tropas ucranianas na região de Kharkov pressupõe uma reviravolta importante na guerra de Putin: a ocupação rápida e “fácil” através das “forças especiais” e mercenários foi derrotada. A resposta de Putin: impor um falso referendo sob as botas e os fuzis das tropas ocupantes e decretar o recrutamento forçado na Rússia! É uma reação a esta derrota. Se, na Ucrânia, urge a tarefa de boicotar e obstruir a realização do falso referendo, não menos importante é redobrar o apoio militar à resistência ucraniana para que continue a ofensiva: Armas para a resistência ucraniana!

Da Bósnia à Ucrânia

Recentemente, a partir da LIT-QI impulsionamos e integramos o Comboio de Ajuda Operária à Ucrânia organizado pela Rede Sindical Internacional, que além disso participou de um ato internacionalista do 1º.de Maio na cidade de Lviv. Esta participação não é eventual nem um fato isolado na história de nossa corrente internacional. Há quase 30 anos também foi organizado um comboio durante uma guerra, nesse caso pela invasão da Sérvia à Bósnia.

Basta da hipocrisia e do racismo da Europa Fortaleza!

Estima-se que a invasão da Ucrânia pela Rússia a 25 de fevereiro já gerou mais de 4 milhões de refugiados. São inúmeros trabalhadores e trabalhadoras, mulheres, idosos e crianças que se viram obrigados a deixar as suas casas e o seu país porque o Estado russo, que historicamente oprime o povo ucraniano, motivado pelos seus interesses económicos, invadiu a Ucrânia, violando o direito à autodeterminação do povo ucraniano.

Ucrânia e Rússia: Sobre fascismos e fascismos

Uma das “justificativas” de Putin para a agressão contra a Ucrânia é a de que seu governo seria fascista ou nazista. Esta acusação é repetida à exaustão por parte da esquerda, principalmente stalinista.

Não cabe uma posição neutra diante da guerra de agressão contra a Ucrânia

Ou se está com Putin ou com a resistência!
Somente apoiando a resistência ucraniana é possível combater a OTAN, os EUA e a UE!
A guerra desencadeada após a invasão russa, como acontece em todas as guerras, dá origem a julgamentos e posições mais díspares e divide às sociedades, incluindo aqueles que conhecemos como esquerda e defensores da paz.

A carregar…

Something went wrong. Please refresh the page and/or try again.

LÊ TAMBÉM O ESPECIAL COM MAIS ARTIGOS NO SITE DA LIT-QI: