França: Trabalhadores fazem Greve Geral contra reforma laboral

Os trabalhadores franceses fizeram uma Greve Geral e foram às ruas esta terça-feira, dia 12, contra a reforma laboral do Governo Macron, que flexibiliza os contratos de trabalho e facilita os despedimentos. Segundo as centrais sindicais que organizaram a jornada de luta, cerca de 400 mil pessoas protestaram contra os ataques do Governo francês em todo o país.

A mobilização retoma o processo de luta contra os ataques aos direitos laborais que o então Governo Hollande tentou impor em março de 2016. O recém-eleito presidente, Emannuel Macron, tenta agora aproveitar-se do facto de estar em início de mandato para impor a reforma. Para isso, socorre-se de um dispositivo legislativo que prescinde de debates e alterações no Parlamento, promovendo uma espécie de aprovação expressa. Macron pretende impor as medidas já no final de setembro.

Como se não bastasse a medida autoritária, Macron ainda atacou os trabalhadores contrários à reforma, chamando-os de “preguiçosos” (fainéants). Os ataques acabaram por ser usados de forma irónica pelos manifestantes, que empunharam cartazes onde se podia ler “Preguiçosos em greve”, “Preguiçosos do mundo, uni-vos” ou “Macron, estás lixado: os preguiçosos estão nas ruas”.

No total, ocorreram cerca de 180 marchas em várias partes do país e greves em 4000 empresas, afetando sobretudo os transportes.  “Vamos perder tudo aquilo que os nossos antepassados conquistaram. Esta lei foi feita pelos patrões e para os patrões“, afirmou uma enfermeira aposentada à imprensa.

(…) A imprensa e o Governo francês tentaram minimizar o impacto da jornada de luta. (…) Porém, a classe trabalhadora francesa mostra grande disposição de luta e já está marcada uma nova Greve Geral para o próximo dia 21 de setembro.

Texto publicado originalmente aqui.